Conheça Ica, um oásis de romance no deserto peruano

Cidade ao sul do país é destino para quem deseja relaxar sem altas doses de adrenalina

Destino que costuma ocupar os primeiros lugares na lista de preferência de aventureiros e mochileiros, o Peru guarda também atrativos para quem busca descanso e romantismo. Pouco explorada pelos turistas brasileiros, Ica, localizada em pleno deserto ao sul do país, é a cidade ideal para beber, relaxar e amar. A cerca de 300km da capital, Lima, é a maior produtora de vinhos e pisco do país, e conta com uma rede hoteleira preparada para receber casais que buscam sossego e mimos, além de oferecer opções de passeios para aqueles que dispensam doses altas de adrenalina.

Se durante o dia uma boa pedida é fazer cavalgadas pelo horizonte de areias sem fim, é sob a luz do luar que os apaixonados podem curtir a experiência de um jantar exclusivo em meio às dunas, admirando as estrelas e contemplando o silêncio.

Passeios assim são oferecidos por hotéis com infraestrutura completa, como o Las Dunas, que reserva ainda serviços de spa com inúmeras modalidades de massagens. A regra é não se estressar. E esse luxo — vale destacar — estende-se a famílias com filhos, já que o lugar está preparado para receber crianças com piscinas específicas para o público infantil, parque, bicicletas e os animais tão característicos de lá, as lhamas, que fazem a alegria da garotada.

Jantar no deserto nos arredores de Ica, no Peru Foto: PromPeru / Divulgação
Jantar no deserto nos arredores de Ica, no Peru Foto: PromPeru / Divulgação

Enquanto no Brasil o estrangeiro não abre mão da caipirinha, no Peru, onde quer que o turista vá, provavelmente será recepcionado com um pisco sour, bebida original e mais famosa do lugar. O drinque de boas-vindas mistura limão e pisco, aguardente oriundo da uva e produzido em várias vinícolas locais. Guias e historiadores relatam que a produção da bebida-símbolo do Peru foi a alternativa encontrada pelos nativos na época da colonização espanhola, já que os europeus proibiram a produção de vinho local para que, obrigatoriamente, o produto fosse trazido do Velho Mundo para os Andes.

Para os apreciadores de destilados, um roteiro especialmente montado para conhecer os diferentes produtores dura metade de um dia e dá direito a degustação do produto, é claro. Mas uma opção para os avessos a horários marcados e programas em grupo é fazer a visita por conta própria, já que as mais conhecidas bodegas, como Vista Alegre e El Catador, estão preparadas para recepcionar os turistas.

Nesse grupo está também a Tacama, mais antiga produtora de vinhos da América do Sul. Chegando ao local, o visitante pode escolher entre percursos mais longos e detalhados ou um mais curto, que invariavelmente se encerra no restaurante Tambo de Tacama, localizado na mesma propriedade. O ambiente agradabilíssimo e a boa comida o categorizam como a melhor cozinha da cidade, dando um toque gourmet à gastronomia regional e criolla, com lugar garantido no cardápio para pratos tradicionais como o ceviche — difícil escolher entre tantos bem feitos — e o ají de gallina, prato com caldo espesso e abundantemente temperado feito com a ave desfiada. Perfeito para se deliciar com calma antes de decidir o que fazer depois, mesmo porque a opção pode ser não fazer nada além de curtir o pôr do sol.

Ceviche, o clássico da gastronomia peruana Foto: Diego Mendes
Ceviche, o clássico da gastronomia peruana Foto: Diego Mendes

Além de seus próprios atrativos, Ica é o ponto de partida para os interessados em conhecer as intrigantes Linhas de Nazca, a 175km de distância, percurso que é feito de carro em pouco mais de duas horas. Declarados Patrimônio Mundial da Humanidade em 1994, os desenhos datados de dois mil anos têm formatos que lembram animais como macaco e cachorro e estão distribuídos em uma área de 350km². A origem dos geoglifos é controversa. Alguns estudiosos afirmam que as figuras seriam um centro de estudos astrológicos. Outros pesquisadores consideram que ali se criou um antigo calendário e especula-se também que os traços desenhados no solo seriam uma forma de comunicação com extraterrestres. Divergências e incertezas à parte, os grandes desenhos só podem ser vistos em sua grandiosidade sobrevoando a área em pequenos aviões.

Recentemente, uma reportagem da BBC jogou ainda mais holofotes em direção ao local. Pesquisadores teriam descoberto desenhos nunca vistos até então, a uma distância de 50km dos já existentes. A sua maioria, no entanto, representaria figuras humanas. Segundo arqueólogos, eles seriam anteriores aos desenhos já conhecidos. A novidade foi detectada graças a imagens captadas por satélites e fotos feitas com auxílio de drones, nunca usados antes ali.

Muitos também elegem Ica como ponto de apoio para explorar a Reserva Nacional de Paracas e para visitar as Islas Ballestas, fazendo um bate e volta.

Para amantes da vida animal, o santuário ecológico é a oportunidade de ver uma diversidade incontável de aves e a rica fauna marinha.

Lagoa de Huacachina, o cartão-postal

Navegação na Lagoa de Huacachina, em Ica, Peru Foto: Diego Mendes
Navegação na Lagoa de Huacachina, em Ica, Peru Foto: Diego Mendes

Uma sereia guarda o principal cartão-postal de Ica, o oásis de Huacachina. Diz a lenda que o grande lago se formou no lugar onde uma princesa se banhava. Surpreendida por um homem, ela fugiu. Suas lágrimas se transformaram no espelho d’água e suas roupas, nas dunas ao redor. Até hoje ela viveria ali como o ser formado por uma metade humana e outra metade peixe.

Se o local mais visitado da cidade tem vaga cativa no imaginário popular desde seu surgimento, em 2018 o cenário ganhou destaque também nas telas de uma nova linha de iPhones da Apple. A marca escolheu justamente esse pedacinho do Peru para divulgar seus mais modernos celulares, com vídeos que mostram jovens praticando sandboard e outros esportes radicais nas montanhas de areia.

No passado, só os mais abastados podiam usufruir do pequeno paraíso que, com o passar do tempo, transformou-se na principal área de lazer também para moradores.

Há quem diga que banhos ali têm o poder de cura. Com poder medicinal ou não, essas águas impulsionaram economicamente a região. Ao redor da lagoa, muitos bares, restaurantes e opções de hospedagem se enfileiram para os visitantes. Com uma fachada bem preservada em estilo colonial, o DM Hoteles Mossone Ica se destaca. Quem se hospeda ali tem a chance de fazer suas refeições em uma varanda com vista para a paisagem.

É nas águas de Huacachina que casais fazem passeios de barco, enquanto grande parte dos turistas encara mesmo a diversão surfando pela areia em pranchas de madeira. Outra famosa atração são as aventuras em carros 4×4 cortando as dunas em alta velocidade. A “brincadeira’’ nem parece uma grande novidade para quem já experimentou se arriscar de bugue por praias do Nordeste brasileiro. A grande diferença, no entanto, é que no Peru você não sairá do ponto inicial sem os devidos aparatos de segurança, como capacete e óculos. Seja em grupos maiores ou, de novo, apenas a dois, a dica é esquematizar esse programa para o fim de tarde.

Muito mais do que driblar o calor escaldante que impera durante praticamente todo o ano por ali, o pôr do sol no deserto é a mais linda maneira de fechar a estada na cidade. O que comprova que o Peru, grandioso e diversificado que é, tem ainda mais a oferecer do que a estonteante e indispensável Machu Picchu.

Chicho, o menino capaz de realizar milagres

Ica foi uma das cidades mais destruídas pelo terremoto que atingiu o Peru no dia 15 de agosto de 2007, e as marcas da tragédia ainda são nítidas em vários pontos. A catedral até hoje segue fechada por estar com a estrutura abalada, apesar de manter sua fachada de pé. No desastre, que provocou centenas de mortes, o pequeno José Luis Tipacti Peña Vásquez, mais conhecido como Chicho e com 9 anos na época, foi encontrado sem vida entre os escombros.

Desde então, o garotinho é tratado como um santo milagreiro pelos moradores e até por pessoas de outras partes do país, que visitam Ica para deixar velas e presentes num pequeno templo erguido em sua homenagem. Muita gente atribui a ele a cura de doenças e a resolução de problemas graves. A mãe do menino, Edith, reúne material para pleitear, na Igreja Católica, a beatificação do filho.

Serviço

Como chegar

A Avianca tem voos diretos do Rio de Janeiro para Lima por R$ 1.815. A Latam oferece o bilhete por R$ 1.301. Já a Aerolineas Argentinas voa do Rio para Lima, com escala em Buenos Aires, a partir de R$ 3.408, enquanto a Copa Airlines faz escala na Cidade do Panamá com voos a partir de R$ 2.358. Tarifas de ida e volta referentes ao mês de dezembro, com taxas já incluídas.

De ônibus, a viagem de Lima para Ica dura de quatro horas e meia a cinco horas, e é realizada pela empresa Cruz del Sur. O preço das passagens varia de 65 a 85 soles, dependendo do horário (cada sole equivale a R$ 1). Os ônibus têm qualidade muito superior à dos transportes rodoviários oferecidos no Brasil e oferecem um lanche simples. cruzdel sur.com.pe

Onde ficar

Hotel Las Dunas. Diárias a partir de R$ 444. Av. La Angostura 400.lasdunashotel.com

DM Hoteles Mossone Ica. Diárias a partir de R$ 265. Balneário de Huacachina s/nº. dmhoteles.pe

Passeios

Jantar no deserto. De US$ 70 a US$ 160 por pessoa.

Areneros. A bordo de veículo 4×4 nas areias do deserto, por 90 soles.

Vinícola Tacama. De terça-feira a domingo, das 9h30m às 16h30m. Preço sob consulta. tacama.com

Fonte: https://oglobo.globo.com/boa-viagem
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − 12 =